sábado, 24 de abril de 2010

No qe se transformou a “Gomorra”??




No intuito de se gerar uma comunidade “anarquista”, onde tudo seria de todos, os espaços seriam comunitários, os objetos e as idéias também seriam compartilhadas, entre tantas outras pretensões, o discurso era esse na antiga casa do Baiano entre pretendentes e precisados de se criar uma república estudantil. A precisão de morar junto logo veio, e a construção dessa comunidade se daria na prática ao longo da convivência. E se deu dessa forma, na prática, a construção dos ideais até diferente dos propostos, mas com tolerância, convivência, limites, adaptações, entre tantas outras situações qe se dariam,... estava acontecendo.
E se alicerçou dessa forma a república de estudantes com idéias libertári@s, a “Gomorra” se deu dessa forma, meio qe as pressas, onde acredito precisar de um acumulo ideológico antes dessa tomada de decisões repentinas dessas ou mesmo uma escolha de com qem se qer/acredita construir antes de se deferir a decisão de ir construir junto. Dando andamento vieram as reuniões, assembléias onde se viabilizaram algumas definições sobre as limitações dos próprios moradores, dos visitantes, das relações qe moradores e agregados teriam, a alimentação, a divisão da compra da limpeza, até mesmo a aquisição desse mesmos materiais, entre outras situações. Onde foram agravando essas decisões, chegando às divisões das prateleiras da geladeira. Até aí a Gomorra vinha no seu auge das festas, do cine gomorra, onde virou ponto de encontro de amig@s qe não se viam durante toda uma semana, ponto de descontração, cultura, de fazer novas amizades, idéias, de cachaça também, maconha, sexo,...onde com o tempo o barulho,as luzes,os horários começam a incomodar,mas até aí tudo era resolvido nas assembléias com certeza com suas limitações, mas com a capacidade de todos participarem nas decisões;estou a falar por mim qe sempre fui agregad@ mas sempre fui ouvida,...
Pensar Gomorra hoje, onde se chega a um ponto qe a entrada de moradores se dar pelo simples motivo de se dividir o alugel (sei sim,das necessidades de se sustentar),mas acredito naqela seleção de ideias pra se construir qalqer coisa junto,em um bom alicerce onde hoje existiu fatos autoritários qe se deram por uma imposição da situação.
Hoje, coincidência ou não, a Gomorra, dois anos depois, esta praticamente com os moradores qe pensavam construir uma república estudantil mais libertária, mas agora vazia com algumas mágoas deixadas no meio do percurso.
Parabéns pela resistência!!!

Juh do cabrunco!!!

A uma Amiga,



como te disse tava esses dias pensando muito em vc, qe foi até aqela história qe te falei qe procurei vc no orkut pra te deixar um recado pra eu te ver e tal,...
Daí, pensei na pessoa qe vc era, na pessoa qe eu te via, na pessoa qe vc era pra mim, na pessoa qe imaginava ser nos olhos dos outros,... Pensei nas nossas divergências...
Divergências essas, ideológicas, teoricas e principalmente nas práticas, seja em qal for o campo, de amizades, relacionamentos, seja qal for!!! Mas logo pensei nas nossas convergências qe são maiores e mais fortes. Pensei eu, em sermos mulheres libertárias, a frente do nosso tempo, em qe a maioria das pessoas não nos compreende, achamos qe temos todo o mundo pra conqistar, acreditamos qe a diversidade de pessoas é diversidade de conhecimento/aprendizagem por isso não nos prendemos a uma única pessoa e nem a um único lugar e nem nenhuma coisa qe seja única,...
Agora falando de mim, acredito qe irei morrer junto a amigos, filhos e não a companheiros pelo menos a aqeles que se enqadram a essas relações meio qe padronizadas.
Existiram sim situações desconfortáveis com relação à vc em alguns momentos no trajeto da minha vida, mas acho qe somos mulheres suficientes para conversarmos e resolvermos qalqer situação qe venha a nós incomodar. Só acho qe não dar pra ficar na superficialidade qe nossa amizade é ou estar sendo. Por isso sei qe existem várias experiências, situações, visões a serem trocadas, vividas junt@s; nem qero pensar na possibilidade de termos aproveitado esse vinculo qe nos une cum o potencial qe temos, com nossa força de qebrar conceitos, padrões, ficarmos lutando separadas ou mesmo continuar só nas perguntas “se estamos bem?” ou “cadê as novidades?”,... Qero qebrar com qalqer situação qe até hoje nos venha a incomodar e a impedir de vivemos uma troca massa daqelas conhecimentos e apredizagens junt@s. Neginha te qero bem, te admiro muito por vc ser qem vc é, desse jeitinho mesmo!
Fror qero qe vc dê muit@as risadas gostosas, goze muito e seja muito feliz. Nós merecemos!!!!

te adoro gata!
Juh